Imprensa
Sexta-feira, 06 de Setembro de 2019, 12h:03

Justiça é feita: Réus envolvidos no assassinato do agente penitenciário em Juína são condenados em júri popular

Conforme o Promotor de Justiça do caso, o assassinato se deu devido à função exercida pelo servidor “agente da segurança pública”.

Assessoria de Imprensa Sindspen/MT
imprensasindspenmt@gmail.com

Juina News

Na tarde da última quarta-feira (04), dois criminosos envolvidos no homicídio do agente penitenciário, Vanderlei Coelho, foram condenados em júri popular realizado na cidade de JUÍNA-MT, local onde ocorreu o fato.

Assessoria Sindspen/MT

Vanderlei Coelho

Agente Penitenciário, Vanderlei Coelho

A tentativa de homicídio aconteceu no dia 16 de janeiro de 2017 na Avenida Mato Grosso, no bairro módulo – 5, em Juína, MT. Vanderlei chegou a ser socorrido, mas ele morreu no dia 28 de maio num hospital de Juína em decorrência as complicações dos disparos. Durante investigações da polícia civil Zaqueu Pessoa Roque e Edson Fernando Sulzbacher foram presos apontados como autores do crime.

O júri que aconteceu no plenário do fórum da comarca de Juína foi mais uma vez presidido pelo meritíssimo juiz Vagner Dupim Dias, representando o MPE, o promotor de justiça criminal Danilo Pretti Vieira, e advogados de defesa dos acusados Oswaldo Lopes de Souza e Andreia Oliveira Lima.

Julgamento

O julgamento teve inicio pela manhã do dia 04 e terminou próximo das 21h com a leitura da sentença e foi acompanhado por familiares do agente, agentes penitenciários, estudantes e populares.

Após ouvir testemunhas e debates, o tribunal do júri desta comarca, em sala própria e mediante votação sigilosa, o nobre conselho de Sentença, reconheceu, por maioria, a materialidade e autoria do delito de homicídio qualificado (com três qualificadoras) em relação a ambos.

Zaqueu Pessoa Roque segundo a denúncia foi quem efetuou os disparos contra Vanderlei e foi condenado há 25 anos, 04 meses e 26 dias de prisão e Edson Fernando Sulzbacher que pilotou a moto pegou uma pena de 16 anos e 04 meses de prisão.
Os réus vão continuar a responder pelo crime em regime fechado.

A presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen/MT), Jacira Maria da Costa Silva frisa que a justiça foi feita. “Apesar de que não irá trazer o nosso companheiro de volta, nos sentimos contemplados com essa decisão, nada irá aplacar a saudade e a dor de seus familiares, amigos e companheiros de farda. O que nos resta é seguir e torcer para que o governo olhe para o sistema penitenciário com um olhar diferenciado e entender que casos como esses ocorridos com os Agentes Penitenciários Vanderlei Coelho, Wesley Silva, Aldo Halik, Elison Douglas não se tornem frequentes e nem sejam estatísticas, mas que nós, agentes da segurança penitenciária, possamos de fato exercer nossa função com o devido respeito que nos cabe”, frisa Jacira.

O promotor do caso Danilo Pretti Vieira, disse que o tribunal popular fez justiça condenando os acusados. “Foi um júri complexo. A situação e as circunstâncias que evidenciaram a morte de Vanderlei Coelho deixaram claro que foi um atentado não só contra a vítima, mas contra o Estado tendo em vista que as razões que motivaram esse assassinato foi justamente o fato de que Vanderlei era um agente de segurança público”, disse o promotor para o site Juína News.

“Vanderlei foi o idealizador do “Agente da Paz", Projeto desenvolvido pelo Sindicato e Servidores Penitenciários, que tem levado carinho e alegria a muitas crianças e idosos de Mato Grosso, lembra Jacira.

Comentários









COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.