Imprensa
Quinta-feira, 15 de Agosto de 2019, 12h:21

Em coletiva, secretário destaca que "faxina" na PCE é a maior ocorrida na história do Sistema Penitenciário Mato-grossense

Assessoria de Imprensa Sindspen/MT
imprensasindspenmt@gmail.com

Durante entrevista coletiva concedida à imprensa na manhã de hoje (15), Alexandre Bustamante, secretário de Estado de Segurança Pública, disse que a Penitenciária Central do Estado (PCE), passa pela maior faxina já vista desde a sua criação. Aos presentes ele informou que celas, blocos e alas estão sendo higienizadas, restauradas e reorganizadas.

Destacou também que não há motivos para as famílias se preocuparem e que há muitas coisas dentro do presídio que não deveriam estar. “Estamos tirando todos os materiais de dentro das celas, reorganizando, pintando, tirando tomadas internas e melhorando a qualidade de ventilação”.

Quanto à suspensão das visitas, destacou que seria humanamente impossível realizar todo esse trabalho com a entrada de visitantes na unidade, pois demanda muita mão de obra e por isso foi suspensa.  “São hoje cerca de 2.400 reeducandos, então, imagina fazer uma obra dentro de casa com todas essas pessoas dentro, é complicado. Imagina esse tipo de trabalho”.

A Presidente em substituição do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen/MT), Jacira Maria da Costa Silva, pontua que todos os objetos retirados estão sendo catalogados (conforme vídeo), para posteriormente serão entregues aos familiares. “Como já havíamos ressaltado, o Secretário destacou que todo o processo está sendo acompanhado pelos órgãos de controle, como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Defensoria Pública, Ministério Público Estadual (MPE) e Judiciário”, frisa a Presidente em substituição do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen/MT), Jacira Maria da Costa.        

Comentários









COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.